16 de setembro de 2013

Mesmo às apalpadelas haveremos de lá ir


Gostava de ter paciência para contar o número de jogadores que Jesualdo Ferreira já usou nos seis jogos oficiais que disputamos. Não o faço porque não me apetece mas o leitor concordará que são muitos.
Na verdade custa um pouco entender porque é que o professor ainda não acertou com um onze-base.
Penso que grande parte dos nossos problemas resulta da dificuldade em encontrar um trio de meio campo capaz de “ganhar raízes”.  Mauro é bom. Mas será mais eficaz que Custódio? Micael poderia fazer esquecer Hugo Viana mas não faz. Luiz Carlos é bom, mas será melhor que Ruben Micael? Mossoró continua a não me sair da memória. Nem da do professor, acredito. Mas o seu substituto ideal seria Micael, Rafa, Alan ou até Luís Silva? Não sei nem o professor parece saber.
Grande parte do problema nasceu com a tentativa falhada de adaptar Alan a dez. Depois o professor tentou dar mais protagonismo a Micael na construção ofensiva mas, para além de falhar vários golos, Micael foi vítima das super sapientes opiniões de muitos de nós, treinadores de bancada. E agora? Poderá o Braga, neste sistema de jogo, fazer boas exibições sem um bom maestro no meio campo ofensivo? Eu julgo que não. E continuo convencido que, por mais experiências que o professor faça, vai ter de se render ao RAFA.

Só mais duas “coisinhas”: Custódio e Éder. Éder e Custódio. Sempre, carago!