17 de março de 2013

Mais cenas de violência em Guimarães

O jogo desta noite entre Benfica e Guimarães esteve várias vezes interrompido devido ao arremesso de engenhos explosivos para o relvado por parte dos adeptos do VSC. Recordamos que esta época, a bancada dos adeptos do Braga no Estádio Axa tinha sido bombardeada com explosivos deste tipo pela mesma claque e que no jogo entre as equipas B dos dois clubes, em Guimarães, os adeptos do Vitória local invadiram a bancada destinada aos adeptos visitantes e arremessaram cadeiras, agredindo vários adeptos do SC Braga.

Polícia e criança hospitalizados na sequência do arremesso de petardos e cadeiras pelos adeptos do Guimarães
A confusão instalou-se nas bancadas do mesmo estádio onde há pouco tempo se registaram confrontos no jogo com o Braga B. O rebentamento de petardos na zona da baliza, vindos da bancada onde estavam os adeptos da casa, causou três interrupções no jogo. A primeira vítima foi um apanha-bolas, no penálti, junto da baliza de Assis, tendo o jovem sido conduzido ao hospital devido a perturbação no ouvido direito, o mesmo sucedendo com um agente da PSP, atingido na cabeça por uma cadeira.
À segunda interrupção, o árbitro reuniu-se com os delegados ao jogo para tomarem medidas, já Artur se queixava do ouvido esquerdo devido a novo petardo. O capitão vimaranense, Leonel Olímpio, pediu calma, mas o incidente repetiu-se, afetando o ouvido direito de Artur. Luís Rocha, defesa vitoriano, disse que o "Benfica sentiu mais os petardos". Recorde-se que, há pouco tempo, o D. Afonso Henriques foi palco de confrontos na receção ao Braga B.

V. Guimarães-Benfica marcado por incidentes
O V. Guimarães-Benfica, jogo que terminou com o triunfo dilatado dos encarnados (0-4), ficou marcado por vários incidentes. Desde logo, o sucessivo arremesso de petardos por parte da claque do Vitória. Na primeira parte, um apanha-bolas teve de sair para receber assistência. Na etapa complementar, Artur Moraes queixou-se por duas vezes e, na segunda, Paulo Baptista ameaçou mesmo com o final antecipado do encontro.
Já no intervalo, foi a vez dos adeptos do Benfica se manifestarem da pior forma. Tudo aconteceu quando a equipa de basquetebol do Vitória foi ao relvado celebrar a conquista da Taça de Portugal. Perante o Benfica, precisamente. No final, um adepto do Vitória completamente exaltado aproximou-se do túnel e envolveu-se numa confusão com Roderick. O jogador do Benfica queria oferecer a sua camisola e quase era atingido pela bandeira do referido adepto. A partida do autocarro dos encarnados decorreu sem incidentes, mas há pelo menos um veículo da comunicação social com o vidro da frente partido no parque de estacionamento destinado à imprensa.

Petardo cai perto de Artur: CLAQUE VIMARANENSE LANÇA ARTEFACTOS
A noite foi agitada para o árbitro Paulo Baptista. No momento em que assinalou grande penalidade a favor do Benfica, os adeptos do V. Guimarães lançaram um petardo para o relvado, tendo este caído muito perto da baliza de Artur. Mas esse nem foi o momento em que os ânimos se exaltaram mais. Perto do final, novo artefacto pirotécnico lançado pelos vimaranenses. Desta vez, caiu mesmo ao lado do guardião, que ficou combalido com o rebentamento. Paulo Baptista reuniu-se com os capitães das duas formações e falou com o delegado da Liga, naquela que foi a segunda interrupção da partida. Isto numa altura em que o Estádio D.Afonso Henriques corre o risco de ficar interditado... Refira-se que, no final do encontro, Roderick dirigiu-se a um jovem para lhe oferecer a camisola e foi alvo de uma tentativa de agressão por parte de um adepto vitoriano.
Cardozo provoca: Poucos minutos após o segundo golo dos encarnados, as câmaras de televisão captaram Oscar Cardozo a provocar a claque vimaranense, num gesto parecido com o famoso festejo da “dança da galinha”. O árbitro Paulo Baptista também viu e mostrou o cartão amarelo ao paraguaio.

Até quando o nome da Cidade Europeia do Desporto, paga com os impostos de todos nós, vai continuar ligada a isto?

Actualização: Petardos em Guimarães no jogo com o Benfica dão um jogo à porta fechada