29 de agosto de 2012

Heróis de Udine recebidos em apoteose



«Jogadores aclamados, treinador ovacionado e o presidente levado em ombros, pelos ares, literalmente, nas comemorações da passagem do Braga à fase de Grupos da Liga dos Campeões. Foi um arraial minhoto no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, esta quarta-feira de madrugada. Foi entre grande exaltação clubística que a equipa do Braga foi recebida, já perto das seis da manhã, por cerca de um milhar de entusiastas de adeptos, eufóricos com mais um feito dos "Guerreiros" na futebolândia europeia. E se a chegada ao aeroporto foi uma festa, seguiu-se uma verdadeira romaria até Braga, com dezenas de automóveis em escolta ao autocarro da equipa no 50 quilómetros de auto-estrada até à capital do Minho, onde a equipa voltou a levar mais um banho de multidão, desde a entrada da cidade ao Estádio AXA.» JN

«Apoteótica a receção que os adeptos do SC Braga reservaram à equipa e restante comitiva do clube minhoto, no aeroporto Francisco Sá Carneiro. Em clima de euforia, numa atmosfera típica de um estádio de futebol, os jogadores foram saudados por mais de mil apoiantes, que esperaram pacientemente pela chegada do avião que trouxe de volta os heróis de Udine. A comitiva só assomou à porta de saída quando os ponteiros indicavam as 4.50 horas, e o primeiro a ser engolido pela multidão foi António Salvador. O presidente do Braga foi abraçado e levado em ombros durante alguns metros, naquela que foi a imagem forte das celebrações. Foi difícil às forças policiais e aos seguranças privados conter tanta exaltação e entusiasmo. Mossoró, Beto e José Peseiro também tiveram dificuldades em sair, tal o colete-de-forças em que se viram envolvidos. À euforia que varreu o aeroporto Francisco Sá Carneiro, em vagas de paixão e de alegria que se iam renovando à medida que os futebolistas entraram no autocarro, seguiu-se o cortejo de automóveis até Braga, com destino ao estádio Axa, onde futebolistas e técnicos foram brindados por novo banho popular. O Braga é o orgulho do Minho. O Braga é o orgulho de Portugal, cantou-se. Com toda a propriedade.» A Bola