3 de abril de 2011

Beira-Mar 1 - Braga 2: Quarta Vitória Pode Dar Terceiro



Com o apoio de mais de 2.000 bracarenses, o Braga chegou a Aveiro determinado a mandar no jogo. Na primeira parte, os minhotos tiveram mais posse de bola, praticaram melhor futebol e desperdiçaram mais oportunidades de golo. Quase a chegar ao intervalo, o ditado velho e bem conhecido aplicou-se e o Braga, que não tinha marcado, acabou por sofrer um golo depois de ser apanhado num contra-ataque fatal conduzido pela esquerda do ataque aveirense por Artur que cruza para a cabeça de Leandro Tatu.

O jogo foi para o intervalo com o Braga em desvantagem e a segunda parte trouxe um Braga parecido ao da primeira: muita posse de bola mas pouco acerto na hora de finalizar. Domingos mexeu e lançou Custódio, Mossoró e Meyong para os lugares de Vandinho, Ukra e Hugo Viana. Estas alterações acabaram por transformar profundamente o futebol do Braga e em dois minutos operou-se a reviravolta. Ao minuto 69, com o Beira-Mar sob intensa pressão do ataque bracarenses, Jaime introduziu a bola na própria baliza e empatou o marcador colocando alguma justiça no jogo.

Dois minutos depois, Meyong, num momento mágico do futebol bracarense, marcou um golo que é um hino ao futebol, correspondendo de calcanhar a um passe de Alan. Um golo que é, com toda a certeza, candidato a golo da época.

O Braga vencia assim em Aveiro, conquistando a quarta vitória consecutiva no campoeonato e ascendendo, ainda que provisoriamente, ao terceiro lugar enquanto aguarda o desenrolar da partida entre Sporting e Guimarães. Grande momento do Braga.