21 de março de 2011

Braga Vence Rio Ave e Sobe ao Quarto Lugar



Apesar da hora indizível que a Liga Portuguesa de Futebol escolheu para esta partida de futebol, foram mais de vinte mil os bracarenses que se deslocaram à pedreira para saúdar os heróis de Anfield Road e apoiar o Braga na luta pelo terceiro lugar.

O jogo começou com um Braga ao ataque a Alan deu os primeiros sinais de perigo quando estavam decorridos apenas dois minutos de jogo. O mesmo Alan voltaria a falhar o alvo, por centímetros, em duas ocasiões e a bola haveria de embater outras tantas vezes no ferro, se bem que a primeira tenha sido um remate de João Tomás (Rio Ave) e a segunda um cabeceamento de Paulão. A primeira parte terminou com um lance polémico em que João Tomás força o contacto com Artur Moraes já dentro da grande área, acção que o árbitro Hugo Miguel penalizou com o respectivo cartão amarelo.

A segunda parte trouxe mais do mesmo: um Braga balanceado para o ataque e um Rio Ave com o autocarro estacionado junto à baliza e a queimar tempo num anti-jogo vergonhoso perante a complacência do árbitro Hugo Miguel. Mas o Braga continuava a tentar... e a desesperar: primeiro foi Paulo César que viu Jefferson desviar uma bola com selo de golo e depois foi Alan que viu o poste voltar-lhe a negar sucesso. O jogo tornou-se mais aberto e Hugo Viana matou o jogo: na cobrança de um livre descaído sobre a direita remata forte à baliza de Paulo Santos que é traído pelo desvio de Gaspar. Estava inaugurado o marcador e havia festa total nas bancadas vermelhas do Estádio Axa. Com o golo do Braga chegou a pressa ao Rio Ave e ao árbitro Hugo Miguel também. Ainda assim, os Guerreiros voltaram a ser guerreiros e seguraram a vantagem que garante o quarto lugar isolado a juntar aos quartos conquistados em Liverpool.