30 de outubro de 2007

Braga novamente sem treinador

A SAD do S. C. Braga prescindiu do técnico Jorge Costa.

Após o jogo com a Naval, o presidente António Salvador, reuniu-se com o técnico e depois de uma pequena conversa, comunicou-lhe a decisão, imediatamente aceite e entendida pelo treinador.

As exibições menos conseguidas e os resultados verificados, nada condizentes com os objectivos e pergaminhos do clube, estiveram na base desta decisão.

No entanto, a SAD do S. C. Braga não pode deixar de agradecer o brio profissional e a dedicação ao clube demonstrada por Jorge Costa durante o tempo em que serviu o S. C. Braga.

O trabalho da equipa foi entregue provisoriamente aos técnicos-adjuntos. in scbraga.com

27 de outubro de 2007

Narrativas de quem lá esteve

Começou com um percalço, a aventura. A boleia prometida transformou-se em semi-desculpa e no dia anterior em desculpa completa. O adepto do Bolton que me havia prometido uma boleia para ir ver o jogo deixou-me sem hipóteses, tinha que ir ver o jogo ao tasco em Leamington Spa, a 20 quilómetros de distância, 50 minutos (de cada viagem) de arreliante autocarro. Mas eis que recebo uma mensagem in extremis dum amigo que lia o fórum superbraga. Havia lugar para mim no carro, e passavam por Coventry. Fantástico!
Depois de muitos quilómetros, filas, entradas erradas e Carlsberg milhadas, chegamos ao Estádio Reebok, uma construção que mais parece uma teia de aranha construída no vale imenso de Lancashire.
O jogo começou morno, o Braga com uma defesa melhor do que as que tem mostrado nos últimos jogos (muito por culpa de Rodriguez) mas com um meio campo incipiente, sem brilho e preso de movimentos. Madrid (gordo e lento) lá ia chegando mas Vandinho e Castanheira não acertavam uma. Wender fez o que tem feito muito bem esta época, nada, e o destaque estava mesmo em César Peixoto, não pelo que que deveria ter feito como defesa esquerdo mas pelo que fez como extremo.
O primeiro golo nasce mesmo daqui. César Peixoto aventura-se no ataque, vem para trás a passo e só quando McCann (creio) se apodera da bola é que começa a correr. O centro é pobre, mas o suficiente para que tanto Paulo Jorge, Rodriguez e Paulo Santos hesitem, para Diof encostar. Mais uma vez, temos que remar contra a maré. As substituições foram bem feitas. Zé Manel veio dar mais acutilância ao ataque e o Bolton de repente viu-se com a sua ala direita presa pelo ímpeto do Bracarense. Também Stélvio entrou muito bem, não acusando a pressão dum jogo de tamanha importância e dando solidez ao meio campo - ninguém brinca quando está ao lado de tamanho jogador! O golo do Braga foi natural. O árbitro perdoou um penálti ao Bolton, o guarda redes do Bolton defendeu o remate de César Peixoto (que tinha selo de golo) e vários foram os remates que passaram perto da baliza contrária. Jaílson, detestado em Braga pela sua ligação ao Benfica, marcou o golo que poderá ter salvo Jorge Costa do desemprego, pelo menos até ao Natal.
De volta a casa, no carro, a sensação de empate com sabor a derrota foi-se desvanecendo, afinal, quantas vezes pontuámos na Grã Bretanha?

25 de outubro de 2007

Um texto a ter em conta

Por Luís Freitas Lobo, in A Bola

Arranca em Bolton a participação do Sp. Braga esta época entre a elite europeia de clubes. É a quarta qualificação consecutiva para a Taça UEFA mas o seu presidente tem sussurrado ambições maiores. Fala na Champions, em ganhar uma Taça. Nada mais legítimo. O título já é outra questão. Para lá chegar só numa época com os três grandes todos em depressão exibicional simultânea. Não é, porém, razão para sentirem frustração. O nível que o clube atingiu nas últimas épocas tornou-o, desportivamente, o quarto grande. E, muitas vezes, a melhor resposta em Portugal à pergunta o que é jogar bem foi sugerir ver um jogo do Sp. Braga.
O clube encontra-se hoje num momento chave. Conseguir ser o quarto grande não apenas por resultados desportivos circunstanciais (como já foram, noutros ciclos, Belenenses, Boavista ou Guimarães) mas sim pelo seu estatuto como clube, independentemente de a bola entrar ou bater no poste. A recuperação económica é um facto e num futuro próximo será inevitável, pela natural erosão do tempo, viver sem a mesma mão camarária que, para o bem e para o mal, lhe balizou o destino durante três décadas. E 30 anos é muito tempo. De mais mesmo se olharmos que de património o clube nada tem. Por isso a falada Academia de Futebol (com maior ou menor especulação imobiliária) é decisiva para construir esse futuro como quarto grande num clube que sempre teve excelente formação e, paradoxalmente, andou sempre com a casa às costas para esse miúdos se treinarem.

No relvado a equipa vive ainda sem uma identidade. É verdade que o clube não pode fugir aos bons negócios mas custa ver lógica desportiva para o Braga vender e, sobretudo, comprar tantos jogadores todas as épocas. Nesta foram 16! Jorge Costa ainda não conseguiu equilibrar o onze. A equipa é forte a atacar, com extremos perigosos (Wender, José Manuel, Hussaine) no um para um e inteligentes em triangulações com a subida dos laterais (João Pereira e César Peixoto) ou em trocas posicionais com os médios de segunda linha (Jorginho ou João Pinto) servindo um bom ponta-de-lança (Linz), mas, depois, sofre muito quando fica sem bola. É esse o grande problema do actual Braga: a transição defensiva. Os laterais fecham mal em recuperação, Madrid está demasiado encostado aos centrais, Vandinho perdeu a intensidade do passado para ser o box to box defesa-ataque-defesa, ficando muitas vezes a meio caminho. Tudo isto sucede em 4x3x3 ou 4x4x2.

Como o actual momento do Boavista explica, ser o quarto grande não passa por ganhar esporadicamente um título nacional. Passa por criar bases (estruturas próprias cruzadas com gestão financeira e desportiva realista) que no futuro tornem o clube independente. Da terra ou do céu.

21 de outubro de 2007

Braga na RTP


O jogo entre o Sporting Clube de Braga e o Bolton Wanderers, para a fase de Grupos da Taça UEFA, vai ser transmitido pela RTP1, na Quinta-Feira dia 25 de Outubro, às 20h00. Por vezes, a RTP lembra-se do serviço público. Assim, quem não puder ir ao Reebok Stadium, pode seguir o Braga na televisão e em canal aberto. Força Braga!

20 de outubro de 2007

Aris



No dia 06 de Dezembro, o Braga vai jogar neste inferno grego para a Taça Uefa. Os adeptos do Aris de Salónica não brincam em serviço.



"Hello from Thessaloniki, Greece!

I am an ARIS fan and I am very happy my team will play against yours in the UEFA Cup. First of all, you should know that Braga is quite known in Greece, you are among the top 4-5 most famous teams of Portugal! We also used to have a player named Braga in the past!

Let me say some things about my team. ARIS is among the most famous clubs of Greece, with 3 championships and 1 cup. We are mostly known for our numerous fans who support the team always and everywhere! The atmosphere in our stadium "Kleanthis Vikelidis" is going to be very difficult for you, as 20.000 and more ARIS fans will be standing over your players' head, with constant voice and other incredible shows!" in superbraga.com

Cachimbo da paz

Mesquita Machado e António Salvador já fumaram o cachimbo da paz, e da chaminé da ansiedade arsenalista saiu fumo branco. Por outras palavras, o presidente da Câmara de Braga convenceu António Salvador a ser candidato ao próximo acto eleitoral e, assim, a abraçar um novo mandato, ficando à frente dos destino do clube e da SAD até 2010. Depois de ter feito vários convites a actuais colegas da Direcção para que se integrem na futura lista, faltava uma conversa com Mesquita Machado tendo como pano de fundo o centro de estágio que António Salvador quer erguer para o clube. Da conversa, pouco se sabe, além de que Mesquita Machado convenceu Salvador, mas é certo que houve promessas de apoio, ainda que o autarca não se mostre disposto a financiar a compra do terreno, na freguesia de Adaúfe, onde o líder da SAD pretende construir a futura estrutura do clube. O autarca terá prometido viabilizar alternativas, num processo que vai decorrer à velocidade possível, por forma a que, dentro do próximo mandato, a obra arranque. Salvador ficou convencido e já fez saber que avançará para o acto eleitoral. Cabe agora aos responsáveis da Assembleia Geral marcar as eleições - o que deverá suceder num prazo de 30 dias -, fazendo ainda coincidir as do clube com as da SAD. O anúncio da nova data deverá ser divulgado em breve. in O Jogo

14 de outubro de 2007

Águas Agitadas (II)


[via abnoxio]

Águas Agitadas

Prossegue o pingue-pongue entre António Salvador e monsenhor Eduardo Melo. O dirigente fez questão de anunciar, na última assembleia geral do clube, a intenção de abandonar o Braga no fim do mandato; já o presidente do Conselho Geral acredita que conseguirá convencê-lo a manter-se em funções durante mais três anos, tendo mesmo pré-agendada, para terça-feira, uma assembleia eleitoral destinada precisamente a oficializar a sua recondução na presidência do clube, que, no entanto, acabou por ser desconvocada. O optimismo de Eduardo Melo voltou a esbarrar, todavia, na irredutibilidade de António Salvador, e só mesmo uma conversa decisiva entre os dois, que deverá acontecer dentro de dias (talvez ainda hoje), poderá alterar a vontade do presidente arsenalista.

É sabido que a maioria dos associados do clube e accionistas da SAD pede a sua continuidade, mas Salvador continua a dar sinais de não querer aceitar, e o mais recente seguiu em forma de carta, uma carta de renúncia que já chegou às mãos do presidente do Conselho Geral, depois de ter passado primeiro por João Marques, o presidente da Mesa da Assembleia Geral. "Essa carta reiterava a vontade de não continuar no clube como presidente, embora sem apresentar motivos. Vamos continuar a procurar uma solução para o clube, que só poderá passar por Salvador", salientou João Marques, revelando ao mesmo tempo ter promovido ontem uma reunião de emergência com António Salvador e monsenhor Eduardo Melo, com o objectivo de fazer o ponto da situação, que, como é sabido, continua crítica. "Ninguém se atreve a procurar alternativas, pois apenas desejamos a continuidade de Salvador. Não pensamos em mais ninguém", reforçou.

Sem nada na manga, monsenhor Eduardo Melo continua a apostar na sua principal arma: a persuasão. "O António Salvador disse, na última AG, que não se candidatava, mas uma coisa é ser candidato, outra coisa é ser candidatável. Se falarmos com ele, pode ser que aceite continuar. Vamos continuar a ouvir as condições dele, com calma e tempo", adiantou o líder do Conselho Geral, um órgão consultivo composto por antigos presidentes e sócios ilustres do clube.

Projecto da Academia continua na gaveta


O céu parece ser o limite para António Salvador. O dirigente do Braga sonha com a conquista de um troféu, mas também deseja enriquecer o património do clube com a construção de uma academia de futebol, projecto que só sairá da gaveta quando a Câmara Municipal da cidade se resolver a apoiar por meio da cedência de terrenos e de algumas verbas . Só assim será possível a construção desta infra-estrutura desportiva, idêntica às dos três grandes, pois envolve sete campos relvados, um miniestádio, um pavilhão desportivo, um ginásio para musculação, duas piscinas e até um hotel. O que existe em papel já foi apresentado à autarquia presidida por Mesquita Machado, mas de pouco valeu... até ao momento. Ciente deste desejo, monsenhor Eduardo Melo, o presidente do Conselho Geral, acredita tudo se resolverá. "É de interesse público, e a Câmara Municipal só não ajudará se não puder", referiu. in O Jogo

A indefinição continua. Ao que parece, os próximos dias serão decisivos.

9 de outubro de 2007

Taça UEFA - Grupo F

O Sporting de Braga defrontará no Grupo F da Taça UEFA o Bayern de Munique (Alemanha), Bolton (Inglaterra), Estrela Vermelha (Sérvia) e Aris de Salónica (Grécia).

Um grupo dificil, mas sem dúvida está ao alcance da nossa equipa o apuramento para a fase seguinte da competição.

Assim o Braga começará esta fase de grupos em terras de sua majestade, frente ao Bolton dia 25/10, segue-se uma folga na 2ª jornada; dia 29/11 recepção ao Bayern no Estádio AXA; dia 6/12 viagem á Grécia para defrontar o Aris de Salónica e finalmente dia 19/12 jogo em casa frente aos nossos conhecidos Estrela Vermelha de Belgrado.

Vamos deixar mais uma marca na Europa...Força Braga

8 de outubro de 2007

Com o olhar lá em cima

Qual antídoto infalível, a goleada aplicada ao Hammarby, para a Taça UEFA, revela agora um Braga tão sadio como imune a qualquer tipo de maleita. O pior, cinco jogos sem vencer, já lá vai e o técnico Jorge Costa conta obviamente aproveitar a embalagem do último jogo. "O Braga quer dar continuidade ao excelente jogo e vitória conseguidas frente ao Hammarby. O Braga vinha de uma série de resultados menos positivos, mas nos últimos cinco jogos apenas fizemos um em casa, frente ao Benfica", lembrou o "adjunto" Jorge Vital, confirmando que a equipa técnica arsenalista está mais do que documentada sobre o adversário desta noite. "O Nacional é uma equipa com qualidade de jogo, muito boa, mas queremos ganhar. Vamos com a ideia de resolver o jogo a nosso favor e se possível com uma boa exibição", anunciou.

Certo de que o Nacional privilegia "a posse de bola" e que normalmente actua de forma "desinibida fora de casa", Vital antevê um grande duelo. "É uma equipa que joga bom futebol e capaz de causar problemas fora de casa, como aconteceu há um ano em Braga já com este treinador", argumentou o "adjunto", aludindo ao empate (1-1) da época anterior. Aprendida a lição, os minhotos dizem-se preparados para a luta. "Vamos entrar em campo para ganhar", repetiu Vital, anunciando que a equipa só pensa em recuperar posições. "A meta de entrar na fase de grupos está conseguida, agora só queremos os lugares cimeiros da classificação. Vamos lutar", apontou.

Todos deram "boa resposta"


A crise de resultados do Braga coincidiu com a falta de alguns titulares, mas quem foi chamado à equipa esteve à altura das responsabilidades. "É importante poder contar com toda a gente, mas os jogadores utilizados deram todos uma boa resposta", considerou Jorge Vital, acrescentando que o essencial foi conseguido. "Precisávamos de um bom momento", referiu. in O Jogo


A vitória por 4-0 frente aos suecos é um bom indicador de uma possível recuperação, mas acho que é preciso mais algum tempo para consolidar as exibições e os resultados. Ganhar os três pontos no jogo de logo, seria, quanto a mim, a real recuperação, até porque a liga vai parar durante duas semanas. Força Braga!

3 de outubro de 2007

Fim-de-semana de recordes, decisões, vitórias e derrotas

O último fim-de-semana foi algo desastrado para as equipas de andebol portuguesas que representaram o país nas competições europeias. Em campo estiveram em masculinos, o ABC, na Taça EHF, e o FC Porto, para a Taça das Taças. Na variante feminina a Madeira Andebol SAD, participou na fase de grupos da Champions League, o Gil Eanes, na Taça EHF, e o CS Madeira, na Taça das Taças.

O campeão nacional ABC que foi relegado para a Taça EHF, depois de ter sido derrotado pelo Barcelona na eliminatória de acesso à Champions League, deslocou-se ao terreno dos isrelitas do Maccabi Rishon Le Zion. Apesar de terem sido derrotados por 33-31 os bracarenses acabaram por obter um resultado positivo que os coloca em boa posição para ultrapassar a eliminatória quando receber em Braga a 2ª mão.

Na Taça das Taças o FC Porto alcançou a vitória frente aos holandeses do Eurotech Bevo HC Panningen pr 39-21. Em Santo Tirso a equipa portista alcançou uma vantagem que a tranquiliza para a 2ª mão da eliminatória. Também na Taça das Taças, mas na variante feminina o CS Madeira ainda venceu a segunda mão da eliminatória, que foi toda ela disputada no terreno do Riam Vigasio, por 33-28, mas o resultado não foi suficiente para reduzir a desvantagem do jogo de dois dias (19-34).

Na Taça EHF, vertente feminina a equipa de Lagos, o Gil Eanes, foi derrotado na primeira mão da eliminatória no terreno da equipa espanhola Itxako Navarra. O resultado 34-18 coloca sérias dificuldades à equipa portuguesa para o próximo encontro a disputar-se em Portugal.

Por fim, a Madeira Andebol SAD viu-se relegada para a Taça EHF depois de sofrer três derrotas na fase de grupos da Champions League. Nos três jogos disputados em Ramniku Valcea, na Roménia, as madeirenses foram derrotadas pela equipa da casa, o CS "Oltchim" Rm. Valcea por 35-20, pelas norueguesas do Byasen HB Elite por 24-37 e pelas bielorrussas do BNTU Belaz Minsk Reg por 26-30.

Em Berlim o domingo foi de grande celebração para Haile Gebreselassie. Para além de vencer a maratona na capital alemã o atleta etíope bateu o recorde mundial com o tempo de 2:04:26. Numa maratona rápida como já é conhecida a de Berlim, Gebreselassie avisou todo o mundo que vinha para a prova com a intenção de bater o recorde, pertencente a Paul Tergat, nesta mesma maratona. O etíope bateu o tempo do queniano por uma margem de 29 segundos.

Ainda em Berlim, mas na prova feminina, destaque para a atleta Leonor Carneiro que alcançou o oitavo lugar. Para além disso a maratonista lusa alcançou, com o tempo de 2:31:41, os mínimos para os Jogos Olímpicos de Pequim.

Passando agora para os desportos motorizados, na Fórmula 1 Lewis Hamilton deu um passo importante para alcançar, no seu ano de estreia, a vitória no Campeonato do Mundo. O piloto britânico venceu a prova disputada no circuito de Fuji, no Japão. A prova foi maracada por muita chuva que provocou vários acidentes e despistes. Num deles o espanhol Fernando Alonso, que disputa com o seu companheiro de equipa o título mundial, acabou por desistir e colocou em risco o tricampeonato. O piloto espanhol encontra-se agora a 12 pontos o que pode permitir a Hamilton sagrar-se campeão já esta semana no GP da China.

No todo-terreno e nas areias quentes de Marrocos Ruben Faria alcançou a vitória no rali marroquino. O motard português esteve no comando durante grande parte da prova onde também chegou a vencer uma etapa. À chegada a Ouarzate o piloto alcançou uma vantagem de 42 minutos e 11 segundos sobre o segundo classificado, o russo Alexy Kolomytsyn. Depois desta vitória Ruben Faria já só pensa em conseguir uma boa prestação no Lisboa-Dakar. O sonho, um lugar no pódio.

Nos carros, Carlos Sousa, em Volkswagen, foi quarto classificado, numa prova ganha pelo espanhol Carlos Sainz. Em camiões, apesar de ser a única participante, Elisabete Jacinto inscreveu o seu nome no livro dos vencedores de provas da Taça do Mundo.

ACREDITAR, precisa-se!

Amanhã é um dia importantíssimo para as aspirações do SC Braga para este ano e para anos vindouros. Não se joga somente uma passagem à fase de grupos da taça UEFA. Joga-se também o prestígio que adquirimos no ano passado, e mais do que isso, joga-se o renascer de uma equipa que precisa de re-adquirir velhos hábitos.
AMANHÃ, VAMOS GANHAR!